Quatro razões por que eu não vou apoiar a campanha #HeForShe de Emma Watson

Publicado originalmente no InsideManTradução: Aldir Gracindo. Foto: Rakesh Rocky, licença Creative Commons 2.o Generic (CC by 2.0).

Esta semana, Emma Watson, a celebridade da franquia Harry Potter, fez as manchetes ao fazer um discurso empolgante sobre igualdade de gênero que foi um chamado para um bilhão de homens se comprometerem com a campanha #HeForShe da ONU Mulheres.

Glen Poole diz quatro razões por que ele não vai assinar o compromisso da #HeForShe.

1. É SEXISTA CONTRA HOMENS E MULHERES

Houve dois comentários que eu realmente gostei no discurso da Emma Watson para a ONU Mulheres:

“Ambos, homens e mulheres, deveriam ser livres para serem sensíveis. Ambos, homens e mulheres, deveriam ser livres para ser fortes.”

“Eu vi o papel do meu pai como pai ser menos valorizado [em relação ao da mãe] pela sociedade.”

Uma das razões por que nós não valorizamos a parentalidade masculina é que nós ainda esperamos que os pais estoicamente aceitem ser o protetor e provedor da família. Qualquer homem que transgrida essa norma, seja ele um “marido caseiro” ou um “pai ausente”, isso é visto como não sendo coisa de um “homem de verdade”.

Nós coletivamente riamos a expectativa do que faz um “homem de verdade” em várias formas diferentes. Uma forma que nós fazemos isso é através de campanhas por igualdade de gênero que apresentam uma visão pantomímica do mundo, em que “as mulheres TÊM problemas e os homens SÃO problemas.” Dentro dessa visão de mundo, são deixados aos homens basicamente dois papéis: o de herói ou vilão. Nós somos vistos como causadores dos problemas, ou resolvedores dos problemas do mundo.

A campanha #HeForShe, na qual Emma Watson quer nos envolvamos, é simplesmente mais do mesmo absurdo sexista. Veja em quais lados da equação os homens e as mulheres são colocados no nome da campanha #HeForShe (#ElePorEla). Os homens e meninos são, mais uma vez, definidos como os FORTES protetores de mulheres e meninas que, por sua vez, as pobres e SENSÍVEIS vítimas do Patriarcado maligno criado pelos homens. Então, onde está o admirável mundo novo de Emma Watson, onde as mulheres podem ser fortes e os homens podem ser sensíveis? Certamente ele não vai ser encontrado na campanha #HeForShe que ela está promovendo.

Então, não, Emma, eu não vou participar de uma campanha que define e limite o papel que homens e mulheres podem ter, baseada puramente nos nossos gêneros, porque isso é sexismo.

2. É UMA CAMPANHA FEMINISTA

Um dos pontos chave que une a ONU Mulheres, Emma Watson e a campanha #HeForShe é que elas são todas feministas. Eu não tenho problemas com as pessoas optarem por definir-se como feministas e acontece que eu próprio não sou feminista. Nem sou antifeminista.

Se eu devo me definir em relação à visão predominante (e dominadora) sobre a política de gênero, então tudo que vocês precisam saber sobre mim é que eu tenho as palavras “NÃO FEMINISTA” colocadas firmemente em mim como uma rocha do litoral da minha cidade natal, Blackpool.

Isso não é uma visão incomum masculina. A grande maioria de homens e meninos neste mundo são não feministas. Sendo este o caso, a simples lógica lhe diz que se você quer que um bilhão de nós nos inscrevamos em algo… NÃO FAÇA DISSO UMA COISA FEMINISTA!

Então, novamente, não, Emma, eu não vou participar de uma campanha feminista sobre igualdade de gênero que exige que eu pense como um feminista, porque isso é fundamentalista (e eu não sou feminista).

3. É UMA CAMPANHA COMANDADA PELA ONU MULHERES

Vou ser bem claro aqui. Eu não tenho problemas com feministas comandando campanhas feministas mais do que eu tenho com conservadores liderando campanhas conservadoras, ou cristãos liderando campanhas cristãs – é exatamente isso que eu espero que feministas, cristãos e conservadores façam.

Porém, se você quer liderar uma campanha que atraia um grande número de pessoas – digamos, por exemplo, um bilhão de homens e meninos – então você realmente precisa criar campanhas que sejam inclusivas de um espectro verdadeiramente diverso de pessoas e pontos de vista.

A ONU Mulheres é uma iniciativa feminista. A despeito das alegações feitas no site #HeForShe, a ONU Mulheres não tem nenhuma intenção de criar “um movimento de solidariedade pela igualdade de gênero” porque a ONU Mulheres não defende igualdade de gênero. Justamente como indica a palavra “Mulheres”.

Como o nome sugere, a ONU Mulheres existe para identificar as áreas em que as mulheres e meninas são desiguais e ignorar todas as áreas onde os homens e meninos são atingidos pela desigualdade. Isso não deveria realmente ser uma surpresa para qualquer um com uma consciência básica do que é política de gênero. Ninguém espera que a Liga de proteção dos Gatos ajudem na repatriação das lhamas, mesmo sendo uma organização beneficente para animais, ela se ocupa dos gatos e não de lhamas.

A ONU Mulheres é a mesma coisa, não está aí para ajudar homens, meninos, nem lhamas. Estão para ajudar mulheres e meninas. A diferença com a ONU Mulheres é que, enquanto ignora o que os homens e meninos enfrentam, ela se apresenta como a maior autoridade mundial em igualdade de gênero.

É realmente uma ideia muito radical esperar que especialistas globais em gênero devessem identificar as maiores desigualdades experimentadas por homens, mulheres, meninas e meninos e procurar lidar com todas elas? Aparentemente, no que diz respeito a apoiadores da ONU Mulheres como Emma Watson, não há necessidade de a maior autoridade mundial em igualdade de gênero considerar os problemas enfrentados por homens e meninos.

Então, mais uma vez, não, Emma, eu não vou fazer parte de uma campanha da ONU Mulheres para igualdade de gênero, porque na minha experiência, a ONU Mulheres é uma organização grosseiramente hipócrita para igualdade de gênero que não promove igualdade para todos os gêneros.

4. NÃO SE TRATA REALMENTE DE IGUALDADE DE GÊNERO

Como a colunista do The Guardian Ally Fogg apontou com uma simplicidade brilhante esta semana, há “cinco palavrinhas” no compromisso #HeForShe, que a ONU Mulheres quer que os homens e meninos assumam, que “traem Emma Watson”. Essa é a declaração à qual Emma Watson quer que os homens declarem lealdade:

“A igualdade de gênero não é apenas uma questão feminina, é uma questão de direitos humanos que requer minha participação. Eu me comprometo a entrar em ação contra todas as formas de violência e discriminação… ENFRENTADA POR MULHERES E MENINAS”.

Essa declaração parece tão descaradamente, inequivocamente sexista que é difícil imaginar como qualquer um que realmente acredite na questão de direitos humanos que é a igualdade de gênero possa associar seu nome a um absurdo tão grande.

Discriminação pode ser um tópico muito subjetivo para se tentar desvendar, mas os dados da ONU sobre violência não deixam dúvida. Os homens e meninos são quatro a cinco vezes mais sujeitos a morte violenta do que mulheres e meninas, então você simplesmente não pode criar um mundo de igualdade de gênero se você ignora a violência contra os homens e meninos.

Eu me importo profunda, intensa, passionalmente com igualdade de gênero e a minha versão de como ela seria difere da de Ally Fogg e Emma Watson muitas outras pessoas que têm lá suas visões sobre o assunto – e é assim mesmo que deveria ser – nós deveríamos querer ter espaço para um amplo espectro de visões nesta conversa vital sobre a natureza da experiência humana em termos de gênero.

Watson diz que ela acredita que “é hora de todos percebemos o gênero como um espectro em vez de dois aspectos” de opostos binários. Bem, é um conceito interessante, mas a realidade é que ela está apoiando a ONU Mulheres (não a ONU Gêneros), de uma perspectiva feminista (não “humanista”) para liderarem uma campanha chamada #ElePorEla (não #ElaPorEle; #NósPorEla ou #NósPorNós), então ela dificilmente está usando seu poder e influência para colocar em prática o que ela prega.

Então, mais uma vez, não, Ema, eu não vou assinar uma campanha hipócrita, feminista, da ONU Mulheres porque acontece que eu realmente quero a igualdade de gênero e para mim, isso significa unir pessoas com um conjunto diverso de perspectivas para abordar as desigualdades de gênero que todos enfrentam, inclusive os homens e meninos.

5 thoughts on “Quatro razões por que eu não vou apoiar a campanha #HeForShe de Emma Watson”

  1. Meu amigo, tudo que vem da ONU é suspeito. Afinal eles criaram um slogan (mais ou menos) “Salvar a vida de uma mulher é salvar o mundo”; que aliás, nada me tira da cabeça que é um plágio sórdido de um ditado judaico “Quem salva uma vida, salva o mundo inteiro” (inclusive homens e meninos).

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *