O Único Homem Bom

Post original o AVfM aqui. Tradução: Aldir Gracindo e Fernando Ilídio.

O Único Homem Bom vê em Mulher o que falta nos homens. As mulheres são brilhantes e encantadoras e boas. Os homens são sombrios e sinistros e maus.

Para manter a imagem de Mulher tão brilhante e encantadora e boa, o Único Homem Bom engole a escuridão da Mulher. Seus acessos de raiva, seus excessos e a sua crueldade são então responsabilidade dele, não da d’Ela. Toda a bondade n’Ela não é escolhida, porque ela é indefesa em Sua bondade – como Ela é indefesa em Sua feminilidade. Mas porque não é escolhida, não é bondade e não alimenta nada no Único Homem Bom.

Sem sombra não há profundidade.

Ele almeja dimensão e recebe apenas brilho, imagens encantadoras tão tênues quanto um suspiro. Para compensar, ele tenta capturar tantas quanto ele puder, mas elas fogem por entre seus dedos como a luz do sol e a sua fome aumenta.

Ele precisa de um harém.

O político cria leis para a defesa de um só lado, que ignoram a dor dos homens para ajudar as mulheres: Violência doméstica, estupro, assédio sexual, não importa. Ele vê tudo isso como uma via para destruir seus concorrentes e ganhar um harém adorador, mesmo que seja apenas o mito de si mesmo mantido em sua própria mente. Ele é o Único Homem Bom, bom por causa de sua influência, que usa para promover as mulheres.

O juiz de família eviscera seu rival – um pai e marido – e na aprovação da mulher, ele vê outra adição adoradora para o seu harém. Ele sabe que o marido falhou com ela, caso contrário, o que ela estaria fazendo diante dele? Mas ele não irá falhar com ela. Ele é o Único Homem Bom, bom por causa do seu poder, que ele usa para beneficiar as mulheres.

O sacerdote condena a moralidade imperfeita dos maridos de suas ovelhas e na admiração delas ele vê um harém. Ele sabe que as mulheres da igreja estão lá para ouvir as suas palavras e as usa para enfatizar os pecados insignificante de seus maridos. Ele não irá falhar com elas. Ele é o Único Homem Bom, bom por causa de sua moralidade, que ele usa para reverenciar as mulheres.

O valentão mesquinho brutaliza um menino menor e é aplaudido pelas meninas. As meninas têm uma queixa; o menino ousou convidá-las para sair, ou talvez ele tenha olhado para os seios delas muito tempo? Ele não irá falhar com elas. Ele é o Único Homem Bom, bom por causa de sua força, que ele usa para vingar as mulheres.

O Único Homem Bom vê todos os outros homens como incapazes, imorais, fracos, abaixo dele. O Único Homem Bom é bom porque ele sabe que ele é o único homem bom. Ele é especial. Ele diverte com histórias sobre sua bondade, todas com o mesmo refrão: eu usei minhas forças a serviço das mulheres, eu esmaguei tanto os homens que as mulheres podem caminhar sobre eles. E assim ele é merecedor da admiração e aprovação de muitas mulheres. Ele tem um harém. Mas isso não é suficiente.

O Único Homem Bom tem inimigos.

O Único Homem Bom odeia o Homem Faminto, porque eles são o mesmo homem. O Homem Faminto está ávido pelos corpos das mulheres; O Único Homem Bom está ávido pela aprovação delas. O Homem Faminto diz: “a única utilidade das mulheres é o seu sexo”. E O Único Homem Bom discorda porque a “única utilidade de uma mulher é a sua aprovação”. Isso é o motivo pelo qual “O Único Homem Bom” não pode permitir-se ver o lado sombrio da mulher, porque se ele fizer isso, ela não o aprovará.

O Homem Faminto e o Único Homem Bom são o mesmo homem, mas eles nunca vão admitir isso. O Homem Faminto diz não se importar com a aprovação das mulheres, ainda que ele precise disso para acessar seu sexo. O Único Homem Bom diz que não se importa com o sexo de uma mulher, mas é seu sexo que faz com que a aprovação dela valha tanto.

Tanto o Homem Faminto quanto o Único Homem Bom temem o Homem Mau, talvez melhor chamado de Homem Destruído, pois ele é o Homem Faminto  pouco alimentado e o Único Homem Bom que engoliu demais.

O Homem Mau diz “olha, Mulher tem uma sombra! A sombra que Ela projeta, eu não! Todas as sombras são d’Ela!”

O Único Homem Bom odeia as palavras do Homem Mau; ele aponta para uma falha óbvia: “Algumas dessas sombras são projetadas por você”! E ignora a grande verdade.

O Único Homem Bom tem um inimigo decisivo; e este é o mais insidioso de todos, porque ele é parte do Único Homem Bom, do Homem Faminto e do Homem Mau.

Ele é apenas um homem. Não um homem mau, nem um homem bom, nem um homem real ou um homem falso, nem um homem forte ou poderoso ou um homem agressivo ou um homem útil ou um homem inútil. Apenas um homem. Um homem que vê que palavras como bom, forte, mau, real, falso, poderoso, inútil e útil são apenas palavras que o Único Homem Bom usa para se separar dos outros homens, para fazer-se especial e, portanto, merecedor do seu harém.

O homem, apenas um homem, vê uma mulher apenas como uma mulher. Ela é feita de luz e sombra em igual medida, e por isso ela tem profundidade, forma e substância. Quando ela o machuca ele diz “você me machucou”. Assuma a responsabilidade por isso. Eu não vou assumir a responsabilidade por ter sido ferido. E se ela o faz, ele fica, porque ela o alimenta.

Com sombra, há profundidade.

Ele não precisa de um harém. E assim ele não precisa odiar ou machucar outros homens para ter um harém.

Ele não é o Único Homem Bom. Ou o Homem Mau, ou o Homem Faminto.

Ele é um homem, apenas um homem.

Tradução: Aldir Gracindo e Fernando Ilídio

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *