13 mulheres que mentiram sobre estupro e por que

O que levaria uma mulher a mentir que foi estuprada? Nada, diriam muitos. Há dias, uma aluna de Pedagogia da USP acusou “um policial” de tê-la estuprado; depois, disse que era parte de um grupo que queria “conscientizar” sobre estupro; por fim, disse havia feito a denúncia falsa porque estava “louca” por ter bebido. A quantidade de denúncias caluniosas de violência sexual, feitas por mulheres pelo fim mesquinho de prejudicar o cônjuge é monstruosa, embora muitos prefiram ignorar. Eis abaixo alguns exemplos de mulheres que cometeram o crime de denúncia caluniosa ou denúncia falsa – e por que elas o fizeram. – Aldir.

Duas histórias sensacionais sobre estupro nos meios de comunicação trouxeram luz sobre a questão das acusações caluniosas de estupro, possibilitou que muitos se perguntassem por que, exatamente, uma mulher mentiria sobre ter sido estuprada. Em suas memórias, Lena Dunham alega que ela foi estuprada por Barry, um brilhante, bem conhecido direitista conservador na Universidade, mas sua versão não se sustenta à averiguação. Jackie, a mulher no centro da matéria da revista Rolling Stone sobre a cultura das fraternidades “gregas” na Universidade de Virgínia, alega ter sido estuprada por um gruo de estudantes, mas discrepâncias em seu relato resultaram na revista voltar atrás em relação à história publicada e questionar a credibilidade de Jackie. Nós não sabemos se qualquer dessas mulheres fez ou não uma acusação caluniosa, mas acusações caluniosas de estupro podem ocorrer, e realmente acontecem. A seguir estão 13 das razões por que mulheres mentem sobre estupro.

  1. Mulheres mentem sobre estupro para acobertar suaa infidelidade.

Certa noite, Nicola Osborne ficou um pouco bêbada e acabou na cama com um homem, que juntamente com ela desfrutou de “extensivas atividades sexuais”. O episódio inteiro foi consensual e dois ambos trocaram números de telefone ao final da experiência. No caminho para casa, ocorreu a Osborne que seu marido poderia não achar uma coisa tão ótima suas “atividades” e se sentiu frustrada e seu mal-estar foi visível. Quando pessoas passando por ela vieram ajuda-la, ela lhes disse que tinha sido raptada à força e estuprada por um estranho, o que deflagrou uma resposta maciça da polícia para encontrar o estuprador. Um subsequente teste de DNA levou a polícia ao homem com quem ela tinha passado a noite e ele foi preso e mantido pela polícia por 12 horas. Uma vez que a verdade veio à tona de que o encontro foi consensual, Osborne foi acusada de queixa caluniosa e condenada a 18 meses de prisão. Mulheres mentem sobre estupro para acobertar sua infidelidade.

  1. Mulheres mentem sobre estupro para justificar por que elas apreciam pornografia.

Quando a mãe de Elizabeth Coast a encontrou vendo pornô na internet, Elizabeth explicou que suas ações foram resultado de violência que ela tinha sofrido nas mãos de um vizinho. Ela testemunhou que quando seu vizinho tinha 14 anos e ela 10, ele a havia molestado sexualmente. Seu testemunho foi convincente o suficiente para conseguir a condenação daquele homem. Ele foi sentenciado a sete anos, dos quais cumpriu quatro, até que Elizabeth se sentiu culpada demais e admitiu que tinha mentido sobre um homem inocente. Ela foi então condenada a dois meses de prisão pela mentira e a pagar U$ 90.000,00 em reparação. Mulheres mentem sobre estupro para explicar por que elas veem pornografia.

  1. Mulheres mentem sobre estupro porque têm uma doença mental.

Rosanne England arranhou o próprio rosto, rasgou suas roupas e inventou uma história sobre um homem ter pedido para usar seu telefone e então a estuprado violentamente. Ela deu à polícia uma descrição detalhada do que aconteceu para combinar com um homem de 59 anos, pai de duas filhas adolescentes, que não tinha nenhum álibi, já que ele passeava com seu cão por uma floresta quando ela alegou ter ocorrido o estupro. O homem foi preso por 28 horas, até que testes de DNA finalmente o inocentaram. Ele continua a enfrentar suspeitas de seus vizinhos sobre ser um estuprador. Rosanne não deu nenhuma justificativa para a acusação, além de sofrer de “doença mental”. Mulheres mentem sobre estupro por terem uma doença mental.

  1. Mulheres mentem sobre estupro porque elas estão se sentindo culpadas.

Kelly Harwood bebeu alguns drinques e decidiu que dormir com o filho de uma amiga seria uma boa ideia. Após refletir melhor, ela decidiu que tinha traído a confiança de sua amiga ao fazer isso e denunciou o filho da amiga por estupro. Ela disse à polícia que tinha sido estuprada enquanto dormia e o filho da amiga foi submetido a um “exame médico intrusivo e interrogado cuidadosamente”. Dois dias depois, Kelly teve pena e admitiu que ela tinha mentido sobre o estupro. Ela sofre de depressão, exacerbada pela quantidade de álcool que ela tinha consumido. Mulheres mentem sobre estupro por se sentirem culpadas.

  1. Mulheres mentem sobre estupro se o sexo for ruim.

Lynette Lee arranjou um encontro com um homem que ela tinha conhecido através de um site de paquera. Tiveram um encontro, que terminou em sexo consensual num quarto de motel. Lee então denunciou o homem por estupro. Ele foi interrogado pela polícia, que depois voltou a falar com Lee. Ela então confessou ter mentido sobre o estupro porque “ela não gostou do sexo”, “foi ruim”. Mulheres mentem sobre estupro se elas acham o sexo ruim.

  1. Mulheres mentem sobre estupro quando são reprovadas em exames.

Rhiannon Brooker viu que seu estilo de vida de baladas estava prejudicando sua vida quando ela, estudante de Direito, foi reprovada no equivalente ao exame da OAB em seu país. Ela disse à banca de examinadores que seu desempenho foi afetado por “circunstâncias extenuantes” e acusou o próprio namorado de múltiplos crimes de estupro e agressão, inclusive de dar-lhe um soco tão forte no estômago que ela teria abortado uma gravidez. Ela feriu a si mesma para consubstanciar as acusações. O acusado passou 36 dias na prisão, até a polícia confirmar que ele estava trabalhando e tinha álibis para cada uma das acusações caluniosas de estupro. Rhiannon foi condenada a três anos e meio por acusações caluniosas. Mulheres mentem sobre estupro [e violência, e morte violenta de nascituro, N. do T] por serem reprovadas em prova.

  1. Mulheres mentem sobre estupro por causa de complicações causadas por medicações psiquiátricas.

Katherine Bennett teve sexo consensual com um membro da guarda nacional, mas depois relatou à polícia que ele a tinha sequestrado em um estacionamento, levado a à sua casa, drogado e estuprado sob ponta de faca, antes de ela ter conseguido escapar. A polícia conseguiu estabelecer que a história tinha sido inventada, mas não antes de o guarda nacional perder seu emprego e ter sua reputação seriamente danificada. O advogado de Bennett disse que ela sofre de depressão e obsessão compulsiva e “embora sua condição e complicações devidas à medicação não fossem excusas para a denúncia caluniosa, foram fatores contribuintes”. Mulheres mentem sobre estupro por causa de complicações com medicações psiquiátricas.

  1. Mulheres mentem sobre estupro quando elas querem atenção.

Gemma Gregory, desesperada por atenção de policiais, prestou oito acusações caluniosas de estupro, acusando sete homens diferentes em um período de seis anos. Ex-namorados foram submetidos a exames de DNA, interrogados e um enorme tempo de trabalho policial foi desperdiçado para Gemma ter a atenção que ela tanto precisava. Após gravar centenas de ligações feitas por ela, a polícia a prendeu e acusou de crime de denúncia falsa. Mulheres mentem sobre estupro quando querem ter atenção.

  1. Mulheres mentem sobre estupro para obter simpatia.

Linsey Attridge estava com alguns problemas de relacionamento com seu namorado e precisava ganhar um pouco de simpatia dele. Ela navegou pelo Facebook e encontrou uma foto de um homem de 26 anos, com um irmão de 14, que ela nunca tinha conhecido, e os denunciou a ambos por estupro violento. Para fazer sua história ficar ainda mais crível, ela socou a si própria no rosto, rasgou as próprias roupas e disse à polícia que os dois homens tinham invadido sua casa quando o namorado estava longe e a submeteram a um ataque brutal. Ambos foram presos e tiveram suas vidas transtornadas quando o caso ficou conhecido por toda a comunidade local. Linsey eventualmente admitiu ter inventado tudo e foi sentenciada s 200 horas de serviço comunitário. Ela nunca pediu desculpas. Seu namorado terminou o relacionamento. Mulheres mentem para obter simpatia.

  1. Mulheres mentem sobre estupro para deixar seus namorados com ciúmes.

Hannah Bryon estava com raiva do namorado por ele ter terminado a relação com ela. Querendo um pouco de atenção e para deixa-lo com ciúmes, ela lhe disse que um homem com quem ela tinha flertado a atacou em uma ponte, estuprou-a e então jogou dinheiro nela para que pegasse um taxi. O homem que ela identificou como seu estuprador foi preso e passou por uma difícil investigação e interrogatórios, mas foi capaz de provar à polícia com evidências que ele não tinha atacado Hannah. Hannah foi condenada a 150 horas de serviço comunitário, com sentença suspensa. Mulheres mentem sobre estupro para deixar os namorados com ciúmes.

  1. Mulheres mentem sobre estupro por vingança.

Quando o namorado de Cori Lynn Osiecki terminou com ela e começou a “espalhar rumores” sobre ela, ela decidiu impor-lhe uma vingança prestando uma queixa estupro contra ele. Ela foi levada de ambulância para o hospital, onde um “kit de estupro” foi usado para colher evidências e iniciou-se uma investigação. Eventualmente, Cori Lynn admitiu que tinha mentido sobre a agressão porque “queria se vingar dele”. Mulheres mentem sobre estupro por vingança.

  1. Mulheres mentem sobre estupro porque elas estão “de mau humor”.

Isabella Himmel estava em um bar e seu amigo não estava prestando atenção nela, o que a deixou “de mau humor”. Então, ela disse a outro amigo que ela tinha sido estuprada por um grupo de estudantes (homens) na Universidade de Connecticut. Esse amigo acreditou na história dela e contatou a polícia, deflagrando um alerta para mais de 30.000 estudantes uma grande perturbação na vida do campus. Um vídeo de vigilância, porém, não mostrou nenhum ataque. Isabella então concordou que ela talvez não tivesse sido agarrada pelos cabelos e submetida a um estupro por cinco homens, mas poderia ter sido chutada ou poderia ter apenas caído. Isabella deve completar um programa que poderia levar ao abandono da acusação de denúncia falsa que pesa contra ela. Mulheres mentem sobre estupro por estarem “de mau humor”.

  1. Mulheres mentem sobre estupro quando suas amigas ficam bravas com elas.

Biurny Peguero estava extremamente bêbada, num bar com amigas, e impulsivamente aceitou uma carona numa van com três homens. Quando ela percebeu onde ela estava, ficou amedrontada e histérica. Os homens a levaram de volta ao bar e foi quando o problema começou. As amigas que ela tinha deixado para trás estavam irritadas com ela e uma briga começou entre as mulheres, que trocaram alguns socos. Quando uma amiga exigiu saber se os homens tinham estuprado Biurny, ela disse que sim. Algumas escoriações resultantes da briga com suas amigas foram aceitas como evidência de estupro e um homem passou quatro anos na prisão por causa da acusação. Mulheres mentem sobre estupro quando suas amigas ficam com raiva delas.

É assustador ver que isso nem mesmo é uma lista completa de razões por que mulheres mentem sobre estupro, mas se podemos considerar algo claro é que mulheres mentem, sim, sobre estupro.

Este artigo foi postado originalmente no Thought Catalog e foi republicado no A Voice For Men, com permissão da autora. Tradução: Aldir Gracindo. Editado para correções em 26/03/2015.

32 thoughts on “13 mulheres que mentiram sobre estupro e por que”

    1. É uma merda mesmo Wagner! É essa merda de feminismo que faz essas vadias parecerem donzelas puras e sem pecado! É revoltante, saber que uma vagabunda desse naipe pode me colocar na prisão simplesmente indo na delegacia da mulher e me denunciando! Se se arranhar e rasgar a roupa, melhor! Só de haver delegacia da mulher é já é uma excrecência!

  1. Gostaria de saber o quanto cada um destas vítimas de falsas acusações e mesmo condenações injustas receberam de indenizações por danos morais, pagas tanto pelo Estado (nos casos de condenação injusta) quanto pela falsa acusadora (em ambos os casos).

  2. E o pior é que não há punição severa para isso. O máximo que acontece é ficar um pouco de tempo presa ou serviços comunitários.

    Enquanto o homem teve sua vida destruída.

    1. Marcus Valerio XR

      E o pior é que fica um dilema, pois na maioria dos casos o homem só foi inocentado porque a acusadora se arrependeu e confessou a mentira. Se for dada uma pena muito severa, elas tenderiam a mudar de ideia bem menos. Quantos homens inocentes não cumpriram integralmente a pena porque suas acusadoras não tiveram coragem de confessar pensando na punição, mesmo tendo a consciência culpada?

      O jeito é aplicar punição severíssima quando a acusadora puder ser desmentida enquanto mantém a acusação, mas atenuar muito a pena caso ela mude de ideia e confesse a fraude. Mas aí no caso encoraja as abusadoras a fazer acusações e depois retirar, apenas para fazer o homem passar por toda a via crúcis da acusação falsa sem chegar de fato a condená-lo, sabendo que a simples acusação já fera com a vida do cara.

      A vítima tem todo o direito de processar a farsante e cobrar-lhe pesada indenização ou aplicar-lhe severa punição. Mas se isso for frequente, mais uma vez, desencoraja a confissão da fraude!

      É UMA DESGRAÇA! E que sirva de lembrete para o grau asqueroso de perversidade do Estuprismo.

      1. O jeito seria fazer tudo isso ai que você disse, mas só condenar o homem caso evidências irrefutáveis, e não somente a acusação da vítima e o testemunho de pessoas conhecidas dela fossem apresentados e fossem considerados suficientes para manterem o homem na prisão (mesmo que como prisão preventiva, já que no Brasil isso pode levar anos, até que o processo judicial seja terminado e sua inocência ou culpa sejam comprovadas).

  3. Leandro Medeiros

    Já aconteceu comigo, uma ex namorada minha me disse que foi estuprada só pra ver se eu ficava com ciumes. Eu fiquei calmo e conversei com ela… daí ela começou a chorar dizendo que era mentira. E que eu são sou ciumento… Ela nunca me deu motivo pra ter ciumes. E eu terminei com ela dias depois!

  4. impressiaona como as consequencias são pequenas para quem é pega fazendo isso ,

    em geral apenas serviço comunitário , e com pena suspensa, isso é , nem limpar rua ou dar comida para os pobres tem que fazer

  5. que absurdo…. e a pena pra essas monstras é ridícula.. depois de terem acabado com a vida do cara… e as que nunca confessaram? affz…

  6. Pessoas mentem a respeito de crimes o tempo todo. Isso é sabido. Pessoas mentem a respeito de fatos graves. Ponto. Por que mentem? Milhares de motivos. Cuidado pra não demonizar as vítimas de estupro. A palavra da vítima é importante. É um crime terrível. Já superamos velhas teorias de vitimologia. Cabe ir adiante, não voltar atrás.

    1. Samantha Vieira

      Meu bem, o problema é que nesse caso a vítima não é a mulher, por que ela não foi estuprada. Quando ela é estuprada tem que ser tratado com seriedade sim. Mas uma acusação falsa é tão ou mais séria do que eu estupro. Pode acabar com a vida de um cara por um motivo fútil e, pior, ele sendo inocente.

      1. Repetindo: pessoas mentem a respeito de crimes o tempo todo. Não só no caso de estupro. Acompanhei o caso em que uma testemunha, um homem, acusou um garoto de pedofilia. O garoto era universitário, estudante de música. Este garoto foi torturado e morto na cadeia pq, na época, a autoridade civil elaborou um falso flagrante. Enfim, apurou-se que a criança foi vítima de pedofilia sim. O pedófilo era um familiar. Houve o processo para punição dos responsáveis. É terrível sim. As consequências são inomináveis. Minha afirmação é no sentido de cuidar ao listar falsas acusações perpetradas – apenas – por vítimas mulheres e referentes ao crime de estupro. A violência contra a mulher neste país não é pouca, é imensa. Temos um longo caminho pela frente. Raramente faço comentários. Mas neste caso achei oportuno um adendo. O objetivo não foi desqualificar a gravidade de uma falsa acusação e, sim, sublinhar que ela ocorre com diversos tipos penais e seus autores podem ser homens ou mulheres. No exemplo que mencionei, a testemunhou que levou o garoto à morte era um homem que não tinha nada a ver com o caso.

        1. Aldir Gracindo

          Certamente a denuncia caluniosa não é exclusividade de mulheres fazer. DA mesma forma, estuprar coisa que só homens façam, mas uma boa parcela da sociedade ainda tem que saber disso.

          Agora, é prerrogativa das mulheres ter todo um movimento (feminista) entranhado em todas as esferas do governos, nos 3 poderes, todo o sistema educacional e mídia, se esforçando para que qualquer denúncia de mulher elimine as garantias constitucionais de presunção de culpa e devido processo de um acusado é homem.

          Homens são mais vítimas de todos os tipos de violência. No assassinato, por exemplo, são mortos mais de 10x mais – mas a aprovação da lei do “feminicídio” mostra o quanto nós não damos a mínima pra eles.

          No estupro infantil, são vítimas invisíveis, nós só nos sentimos à vontade de ver homem como agressor, não vítima. Eles não são prioridade, pelo contrário, queremos “ensinar O HOMEM a não estuprar”. E feministas mentem, com apoio do Governo ONU e outros órgãos de autoridade incontestável, que “é raríssimo (2% ou menos, segundo elxs) mulheres mentirem sobre estupro. Não é. Chega a 80%. E deve ser investigado como qualquer crime, não um homem se tornar culpado imediato só porque uma mulher faz denúncia, coisa que acontece normalmente nas varas de proteção à mulher, delegacias da mulher e em qualquer lugar onde a influência feminista for forte o suficiente e não só não se quer saber disso, como uma multidão de ativistas e seus evangelizados nega veementemente.

          Então, se você não se importa, ou mesmo que se importe, mostramos que mulheres mentem, sim, e sujeitam os homens a prisão, expropriação de bens, alienação dos próprios filhos, linchamento público e estupro punitivo, que isso acontece normalmente e nossa sociedade não se preocupa com eles, exatamente porque eles são homens.

          Aqui não é um espaço feminista.

          1. Angela Broilo

            Puxa, fui ver a marcação na Obvious agora. Não tinha lido essa responda. E faz tempo. De qq forma, Aldir, aí o retorno.
            – Referente ao tema da página, qd vi esse post em meu feed, chamou atenção o título e a imagem, claro. E entrei no texto estranhando. Não percebi que se tratava de um um movimento contrário ao das mulheres. Com certeza, não teria permitido evoluir a conversa. Está explicado o tom nada hospitaleiro das mensagens.
            Agora que já passou o tempo, só cabe dizer que:
            – Onde estão esses dados que vc menciona na resposta? Esses 80% de vítimas de denunciação caluniosa são brasileiros, americanos, enfim, a fonte não está clara.
            – Sobre a quantidade de homens mortos. O que tem a ver o homicídio desses homens? Em que a inclusão de feminicídio prejudica essas vítimas?
            – Levo a impressão que vc se sente vítima de alguma injustiça, como se os movimentos da mulheres visassem, não o agressor, mas o cidadão comum. Isso seria absurdo. Existem homens apoiando o movimento das mulheres e das filhas.
            Esses tipos de crimes sexuais são ainda mais cruéis porque tem um problema em relação à vítima. Ela/ele sentem vergonha por ser vítima. E, pasmem, se é para dar estatística sem dado oficial, aqui vai um, justamente pq os dados são silenciados. A vítima não busca a autoridade. Quem atende são ONGs, hospitais. Então tem muito mais estupro sendo perpetrado sem punição do que a denunciação que vc trás. Fui nessa. Tem muito lugar com homens e mulheres olhando pro problema da vida, a vida boa em geral. Abs a todos

          2. Aldir Gracindo

            É curioso você vir dizer que por ser um site “contrário ao movimento das mulheres” e por isso o tom é hostil. Quer dizer que pelo mundo afora ninguém se atreve a apontar que mulheres TAMBÉM mentem, inclusive quando acusam homens de estupro? Pelo perigo de “demonizar a vítima”? Crer no que uma mulher diz, só porque ela diz, é o admirável novo ponto em que chegamos, superando a “velha criminologia”… O mundo por aí é assim tão cego a favor das mulheres? Então a coisa está tão péssima quanto os masculinistas mais birutas vêm dizer.

            Não precisa deixar evoluir a conversa ainda mais, porque devido processo, presunção de inocência, esse tipo de garantias constitucionais deve parecer horrivelmente “misógino” para você.

            Os até 80% vêm de uma estimativa em justiça de família, onde mulheres têm vantagens ao acusar homens de abuso sexual e uma espantosa facilidade em sair incólumes disso: http://extra.globo.com/noticias/rio/nas-varas-de-familia-da-capital-falsas-denuncias-de-abuso-sexual-podem-chegar-80-dos-registros-5035713.html

            Sobre o feminicídio e as outras coisas que você disse, realmente é muito ofensivo ver que são só “alguns homens”, “alguns criminosos” (criminosas não, porque são minoria, então precisamos de leis mais severas para ELES, só isso, não tem por que tanta indignação em tornar institucionalizado que ELES são agressores, ELAS são vítimas e eles devem ter penas mais graves, afinal são ELES). Claro que ao mesmo tempo, tudo isso é um “sistema”, o “machismo”, pelo e do qual TODOS os homens são responsáveis, mantenedores, reprodutores e beneficiários. A desonestidade de vocês é assombrosa e é também assombroso que essa hipocrisia e preconceito envolvendo Justiça Penal passa tão despercebida socialmente.

            Então, “as vítimas (MULHERES, porque que tipo de outras vítimas importam, afinal?) não procuram as autoridades”. Como se eu não soubesse o que acontece quando se suspeita que uma mulher foi agredida ou estuprada num hospital. Como se não existisse delegacia especializada, como se só mulheres fossem sujeitas a injustiça, crimes violentos e só elas, não crianças, nem homens, deixassem de prestar queixa.

            Pois eu acho incrível e absurdo como vocês, feministas cheias de “bondade”, se preocupam só com injustiças e violência pra um lado. Vamos personalizar quando convém, dizer que EU estou me sentindo pessoalmente injustiçado, porque empatizar com um dos sexos é fundamental, mas com o outro, só pode ser sinal de que eu tenho algum problema.

            Vá e leve toda essa falsa bondade no coração. Temos regras sobre comentários e você na verdade não é mais bem-vinda.

          3. Capitalista Pobre

            ”Homens são mais vítimas de todos os tipos de violência. No assassinato, por exemplo, são mortos mais de 10x” Pois é, quem mata esses homens q vc ta falando? são os HOMENS tbm! http://www.bbc.com/portuguese/internacional-37730441 Homens sao responsaveis por 99% dos assassinatos, nem por isso vc vê matéria tosca de site tendencioso dizendo: ”Homens assassinam porque”, ”homens mentem porque…”. É muito desonestidade querer comparar homicídio causado por vingança, assalto, etc, com crime de ódio.
            O outro estrume ainda chama a moça de vadia… Bando de machista bosta! Tudo fracassado na vida, ficam nesses sites toscos pra descontarem a raiva q tem das mulheres. kkkk

          4. Tem uma coisa que eu não gosto nessa história de chamar vocês, feministas, de “vadias”. É uma ofensa às mulheres promíscuas que têm bom caráter, só gostam de rodar sexualmente e honestamente.

            Vocês são piores que os racistas. A mentalidade é tão abjeta quanto, só que vocês conseguem enganar milhões de pessoas usando a bandeira “proteja a mulher” como distração. A maioria dos assassinados são negros, a maioria dos assassinos também. Isso significa o que sobre os homens e sobre os negros, seu pedaço de estrume em formato humano?

            E você queria que eu odiasse mulheres, eu sei. Seria igual ao lixo de pessoas que vocês são, que veem as pessoas como uma massa uniforme.

            Banida.

        2. Mas isso é evidente, o ser humano é torpe e podre, homem e mulher. Isso não é novidade alguma. Em um desses vários casos de falsa acusação de estupro, um homem perdeu seu emprego, teve sua vida destruída, foi perseguido. Agora é óbvio que pessoas mentem à respeito de crimes o tempo todo, mas oque foi colocado aqui é muito grave e pode acabar com a vida da pessoa que for acusada falsamente.

    2. As pessoas estupram por vários de motivos. Ponto. Cuidado para não demonizar as vitimas de falsa acusações. As denuncias falsas de estupro são imensas nesse país e poucas pessoas estão se quer querendo discuti-las. A palavra do acusado é importante. É um crime terrível. Já superamos velhas teorias inquisitórias que não garantiam o devido processo legal. Cabe ir adiante, não voltar atrás.

    3. o problema minha filha é que em todos os outros crimes você é INOCENTE ATÉ QUE SE PROVE O CONTRÁRIO menos quando uma mulher é “estuprada” ai é “CULPADO ATÉ QUE SE PROVE O CONTRÁRIO” se eu não provar que não estuprei você, eu me fodo, enquanto o correto seria você provar que eu sou culpado, me desculpe, mas isso é uma bela de uma sacanagem!

  7. Maquiavel: Monsieur du safadôn

    Nossa, o que leva um ser a fazer isso? Privilégios alimentados pelo ego que são mais importantes que a dignidade humana? Podemos chamar estas criaturas aí de humanas?

    1. Denúncias falsas de estupro é mais comum do que as pessoas imaginam. Muitos têm suas vidas destruídas por vadias mentirosas. A maioria das pessoas não querem saber se o cara é culpado ou inocente. Se a mulher acusar um homem, ele é automaticamente culpado e condenado.

  8. Tem ainda o caso de um taxista que transportou 3 mulheres que estavam “fumando umas” no taxi dele, aí ele avisou que era ilegal e pediu que não fizessem aquilo. Elas surtaram e, pra prejudicar o cara, gritaram que ele estava estuprando elas. Não demorou pra prenderem ele. ENTRETANTO, felizmente o taxista tinha uma câmera instalada no taxi, aí ele pôde PROVAR sem dúvidas que elas mentiram e ele foi liberado. Mas o problema era que, se ele não tivesse a câmera, ele estaria lascado.. =/

    https://www.youtube.com/watch?v=5PYhCkF7GKY

  9. Tem ainda o caso de um taxista que transportou 3 mulheres que estavam
    “fumando umas” no taxi dele, aí ele avisou que era ilegal e pediu que
    não fizessem aquilo. Elas se recusaram a pagar pelo transporte, aí quando ele ameaçou chamar polícia, elas surtaram e, pra prejudicar o cara, gritaram
    que ele estava estuprando elas. Não demorou pra polícia chegar no local.
    ENTRETANTO, felizmente o taxista tinha uma câmera instalada no taxi, aí
    ele pôde PROVAR sem dúvidas que elas mentiram e ele foi liberado. Mas o
    problema era que, se ele não tivesse a câmera, ele estaria lascado.. =/

    https://www.youtube.com/watch?v=5PYhCkF7GKY

  10. Um dos piores atos que um ser humano pode cometer. É tão baixo quanto o próprio crime de estupro e quase tanto quanto o golpe da barriga.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *